Provas podem gerar ansiedade em muitos estudantes. Mesmo que você tenha se preparado ao longo do tempo, a aproximação das provas pode trazer perguntas como: estou preparado? O que estudei é suficiente? O problema desta ansiedade é que ela pode acabar em insegurança e efetivamente impactar negativamente no desempenho na hora da prova.

A seguir apresentarei algumas dicas para diminuir a ansiedade antes e durante a prova.

Preparação para o dia da prova

Evite o estudo concentrado na noite anterior: a retenção de conhecimento é maior quando o estudo é feito ao longo do tempo e não em algumas poucas horas antes de uma prova. Por outro lado, revisões rápidas são importantes para organizar informações, sendo uma boa prática antes de uma prova. Mas é importante que esta revisão seja feita a partir de anotações feitas por você e não por outra pessoa.

Tenha tudo a mãos tenha todo o material necessário para fazer a prova. Isso não inclui apenas caneta, lápis e borracha. Caso seja permitido, também tenha fichas de consulta, anotações ou o livro com você. Depender de livros da biblioteca é um risco. Algo que ajuda a diminuir a ansiedade é chiclete, assim, traga um caso a prova provoque muita ansiedade em você.

Esteja fisicamente preparado: uma boa noite de sono pode parecer besteira, mas tem grande influência no seu desempenho durante uma prova. Quanto mais cansado estiver, menor será sua capacidade de concentração. Outro elemento que pode atrapalhar é o consumo excessivo de cafeína na noite anterior, prática comum entre os que deixam para estudar tudo na noite anterior.

Conheça a prova que vai fazer: tente saber o máximo possível sobre a prova que vai fazer, de forma a diminuir a ansiedade sobre o que virá. Pergunte ao professor se a prova será de testes, respostas longas ou curtas, um pouco de cada… A partir disto faça um resumo final considerando suas fraquezas para o tipo de prova prevista.

Durante a prova

Leia as instruções: ao receber uma prova a primeira coisa que deve fazer é ler tudo, especialmente as instruções. Caso algo não esteja claro, pergunte logo no começo. Coisas que parecem óbvias nem sempre o são: a prova pode ser feita à lápis ou deve ser feita à caneta? pode haver rasuras? de qualquer tipo? qual o tempo total para responder à prova?

Leia a prova: uma vez lidas as instruções é importante que você também leia a prova toda. Ao já saber tudo que virá, poderá estabelecer uma estratégia de respostas. Responda primeiro as perguntas em que você apresenta maior conhecimento (já defendendo nota para estas) e depois parta para as mais difíceis. Outra estratégia possível é se concentrar nas questões que valem mais pontos (quando a pontuação das questões for indicada).

Leia atentamente cada questão: algumas questões são elaboradas de forma a aumentar o nível de dificuldade. Geralmente esse é o caso de questões que apresentem uma explicação e a ordem do que explica e do que é explicado é invertido (ficando X porque Y). Preste bastante atenção nas questões deste tipo, faça anotações gráficas (com desenhos) para deixar claro o que foi dito na questão.

Relaxe: sempre que você se sentir estressado ou mesmo ansioso durante a prova, pare tudo e respire profundamente duas ou três vezes. Isso tomará pouco tempo e fará muita diferença. Quando você respira fundo aumenta a oxigenação do corpo, diminuindo a tensão e aumentando a capacidade de reflexão. Esse é um gesto simples e que tem grandes impactos sobre uma prova.

Não se distraia: essa dica é especialmente válida para pessoas com muita dispersão de concentração. Se você se distrai com facilidade e tem algum grupo ou mesmo estudante com comportamentos que estão te atrapalhando durante a prova, peça ao professor que interceda. Silêncio é um dos principais elementos que ajudam na concentração.

Dicas para tipos de questões

Testes: primeiro leia a questão inteira e já faça anotações em pontos que chamam a atenção em cada uma das alternativas. Se a resposta correta não ficar clara na primeira leitura você pode pular (se o tempo estiver confortável) para a próxima questão, dando um tempo para seu cérebro processar a questão. Volte para a questão e leia tudo novamente, buscando pelo menos a seleção de duas alternativas possivelmente corretas. Se tiver que “chutar” uma delas, procure aquela que apareceu menos vezes ao longo da prova. No caso de perguntas “verdadeiro ou falso” tenha sempre em mente que alternativas absolutas tendem a ser falsas. Alternativas absolutas são aqueles que contém palavras como: sempre, nunca, geralmente…

Perguntas discursivas: leia a questão toda para entender o que foi solicitado e de que tema está tratando. O mais importante na leitura é localizar substantivo e verbos (que podem ser circulados para facilitar a compreensão da questão). Busque o chamado “comando”, que é a parte da questão que identifica o que se espera que o estudante faça. São palavras como explique, defina, compare, analise, proponha. Anote em algum lugar algumas palavras-chave que você seguirá para responder a questão, de forma a ter uma ideia geral do que dirá e de quanto espaço precisará. Ao estruturar sua resposta se pergunte como o comando foi respondido (se foi). Um erro comum em questões discursivas é falar sobre um tema de forma livre mas não respondendo ao que foi solicitado.

 

Leave a Reply