A capacidade de memorização é algo fundamental nos estudos. É nela que as informações recebidas e trabalhadas são guardadas. É a partir das informações que se problematizam conceitos e conseguimos melhor compreender a realidade.

A memória não é uma habilidade puramente nata, ainda que algumas pessoas tenham mais facilidade para memorizar as coisas. Existem exercícios e comportamentos que podem nos ajudar a desenvolver uma capacidade de memória maior.

Nossos pensamentos e sentimentos passam pela memória sensorial antes de chegar à memória de curto-prazo, ou de trabalho. Nesta memória guardamos informações que serão rapidamente esquecidas por não serem consideradas úteis ao longo do tempo. É isso que acontece quando alguém nos diz um número de telefone para ligarmos, ele fica em nossa memória um curto espaço de tempo, suficiente para que façamos a discagem.

As informações de curto prazo depois são repassadas para a memória de longo prazo, onde são guardadas de forma mais definitiva. No entanto, informações descontextualizadas dificilmente serão recuperadas desta memória mais duradoura justamente porque não saberemos como acessá-las.

Exercícios para desenvolvimento da capacidade de memorização

Tornar as informações menores: o cérebro tem dificuldade em lidar com informações muito complexas. Tente quebrá-las em informações menores, construindo relações entre as várias informações. Estudos indicam que a memória curta consegue arquivar entre quatro e sete informações separadas de uma só vez. Busque diminuir o todo em partes e depois guardá-las na sequência. Isso é o que fazemos com números de telefone. Ao invés de guardar um número de celular como 985780987 podemos quebrá-lo de forma a fazer sentido para nós. Assim, podemos tanto seguir a tática 9-8578-0987 ou 985-780-987.

Faça atividades que foquem na retenção de informação: existem diversos jogos online voltados para o treino da memória. São jogos de apoio, mas não substituirão o estudo propriamente dito. O ideal é você ter um tempo predefinido por dia para usar esses jogos, acostumando o seu cérebro a conseguir guardar informações.

Busque diferentes formas de se manter estimulado durante o dia: sempre leia alguma coisa, mesmo que poucas páginas. Estimule seu olfato (perfumes, flores e comidas são bons meios para isto). Experimente comer diferentes comidas e gaste um tempo tentando olhar para o horizonte. Escute um pouco de música, sempre tentando variar o estilo. Todas essas ações ajudarão a manter seu cérebro ativo e flexível, ou seja, você terá uma capacidade maior de processar e armazenar informações. A repetição tende a deixar o processo de aprendizagem mais “preguiçoso”.

Pratique a escuta ativa durante a aula: durante uma aula se concentre para fazer as anotações do que o professor fala mas também de possíveis conexões que você faça durante a exposição do professor. Esse tipo de anotação é o que se chama anotação ativa. Ela tem se mostrado um importante mecanismo para manter o cérebro atendo e a memória mais ativa.

Faça a revisão das anotações ao estudar: não se limite a ler as anotações de aula. Uma revisão possível é reescrever suas anotações durante os estudos. Leia a anotação original, esconda-a e tente reescrever (com outras palavras) o que foi lido. É uma forma de você promover a memorização de conceitos ao mesmo tempo em que treina sua capacidade de expressão. Se foram dadas perguntas ou exercícios para o tema que está estudando, tente responder e depois comparar com suas anotações, fazendo as correções que forem necessárias.

Use cartões de anotações: são cartões relativamente pequenos e que podem ajudar a separar conceitos e expô-los de forma concisa. Uma forma de se fazer cartões úteis para o estudo é escrever o conceito de um lado e uma pergunta, exemplo ou reflexão do outro. Depois de preparados os cartões você deve embaralha-los e pegar um-a-um. Ao ler o conceito, tente explicar e citar um exemplo ou responder a pergunta que está do outro lado do cartão. Depois faço o inverso, leia antes o exemplo para depois dizer qual o conceito.

Sempre não é toda hora: é importante estudar sempre, com boa regularidade, mas isso não quer dizer durante todo o tempo. Estudar por longos períodos resulta em uma baixa capacidade de aprendizado e memorização. A memorização está baseada na repetição e não no tempo. Então é importante repetir um pouco por vez. Estudos indicam que 1 hora por dia para uma disciplina resulta melhor do que 5 horas antes de uma prova.

 

Leave a Reply